Araras: A miragem, o milagre e a vida

Aldânia Lima Soares
Titular da Cadeira nº 30 da
Academia Ipuense de Letras, Ciências e Artes

A Miragem

No sentido da vida carrego no pensar a visão daquele espelho cristalino das águas mágicas e encantadoras do majestoso Araras. O açude que impera a região norte, que comanda a fartura e a multiplicação dos peixes, das diversas tonalidades do verde, nos adota. Abundância das colheitas a beira de sua margem e a lambida da terra fértil que transforma aquele pequeno lugar, nos encanta. Do cinza pálido de outrora ao encanto da relva cheirando o orvalho, a terra molhada, o cheiro de madeira verde e a doçura do seu povo forte e viril. Este açude é pura magia.

O Milagre

Águas no olhar infinito e mistério na fervura da fé de seus admiradores. Araras não só encanta, mas esbanja misticismo no seu povo que fortemente ora com muita fé agradecendo os frutos emanados de suas águas, de seus recursos e do imenso progresso que avança por sua capacidade de fortalecer a economia local. A reza em conjunto com as promessas ratifica a nobreza desse povo que acredita nas bênçãos e mão divina.

A Vida

Com um sopro de luz nasce uma vida. Com uma brisa levemente acariciando o rosto bendito de um povo nasce o sol. Este mesmo sol batiza as águas límpidas do Araras e assim a vida inicia um novo círculo. As estradas da vida são diversas, seus caminhos são variáveis, porém o encontro de vidas de quem privilegia morar e banhar-se do batismo dessa água estará para sempre protegido das impurezas do mundo. Araras é por se só um trabalho humano com a bênção divina.

Ipu, 26/04/2020

Uma homenagem ao açude Araras pela passagem de sua sangria!

Fonte: http://academiaipuense.com.br/

Back To Top